Defesas de cinturão, entretenimento, raça: o que Volkanovski precisa para ser maior que Aldo no peso pena?

Atual campeão da divisão até 65,7kg. persegue luta a luta alcançar o legado do ícone brasileiro; australiano se apresenta no UFC 276

A. Volkanovski (esq.) vence J. Aldo (dir.) no UFC 237. Foto: Reprodução / Facebook @ufc

Alcançar o status de lenda em algo não é tarefa para qualquer ser humano e no MMA não é diferente. Desde que conquistou o título dos penas (até 65,7kg.) do Ultimate e teve êxito em três defesas de cinturão, o nome de Alexander Volkanovski tem ganhado forças quando o assunto é legado dentro da categoria. O talento do atleta é questionado por poucos dentro do esporte, mas a questão que fica é: o australiano precisa para ultrapassar José Aldo?

Nesta edição do Blog da Redação, a equipe do SUPER LUTAS irá analisar se ‘O Grande’ já está perto, empatado ou superou o legado construído pelo ídolo manauara.

Histórico de Volkanovski

Antes de entrarmos nos posicionamentos, faremos um breve apanhado do que Alexander conquistou ao longo de 10 anos como profissional no MMA. Ao todo, o australiano soma 25 compromissos na modalidade, somando 24 triunfos e apenas um tropeço, sofrido em 2013.

Veja Também

Pelo UFC, Alexander acumula 11 apresentações e nunca sentiu o gosto da derrota na empresa. O adversário de Max Holloway no UFC 276 também é dono de uma impressionante sequência de 21 triunfos em sequência, contando sua trajetória fora do Ultimate.

Campeão dos penas desde 2019, quando superou o icônico Max Holloway – seu rival em trilogia neste fim de semana -, ‘O Grande’ soma três defesas de cinturão e pode chegar à quarta neste sábado (2).

Sem mais delongas, a equipe do SUPER LUTAS responde: o que Volkanovski precisa para superar Aldo?

Fernando Keller – Repórter e redator do SUPER LUTAS

“Longevidade. Aldo reinou por mais de quatro anos, sem contar o tempo de WEC, com sete defesas de cinturão nesse período. Volkanovski tem um cartel invejável, mas precisa de mais tempo e defesas para se tornar o maior. Um possível segundo cinturão na divisão de cima aceleraria o processo”.

Gabriel Fareli – Repórter e redator do SUPER LUTAS

“Eu acredito que o caminho para Volkanovski superar José Aldo ainda é longo. Por mais que o australiano o tenha vencido e esteja a ‘apenas’ três defesas de cinturão dos penas para igualar o campeão do povo, não dá pra ignorar que o brasileiro se manteve na elite da categoria por muitos anos e chegou ao Ultimate já como campeão, pois era rei também no antigo evento WEC.

Aldo também tem um estilo de luta mais interessante e atraente para os fãs e sempre foi conhecido por entregar grandes ‘guerras’ em seus confrontos. Já Volkanovski, é criticado constantemente por seu estilo pragmático de lutar e por ser um atleta pouco empolgante.

Em resumo: José Aldo ainda é o número um e será por um longo tempo”.

Igor Ribeiro – Repórter e redator do SUPER LUTAS

“Volkanovski é um campeão legítimo e já não precisa mais provar nada por uma discussão com José Aldo. Competidor visceral, que tenta sempre se provar e gosta de projetar seu futuro sempre indo além, em constante evolução. Já venceu o próprio Max Hollway em duas oportunidades, além de Chad Mendes, Brian Ortega e Zumbi Coreano.

Na luta contra José Aldo, por exemplo, esteve em domínio durante três rounds, mesmo lutando no Rio de Janeiro. E, atualmente, também já ‘varreu’ a categoria dos penas. O problema, para ele, é que não há uma relação carismática necessária com os fãs e seus feitos seguem sendo desvalorizados. Não tem o crédito que merece. Para ser o melhor, você precisa superar os melhores. E Volka já fez isso”.

VH Gonzaga- Repórter e redator do SUPER LUTAS

“Aldo, para mim, ainda é o maior peso pena de todos os tempos. Os números do brasileiro falam por si. Campeão no WEC e, posteriormente do UFC, o manauara atingiu o estrelato jovem e, na maior organização de MMA do mundo, teve êxito em sete defesas de cinturão.

Por outro lado, Volkanovski tem dado sinais de evolução constante e apareceu para grande público no UFC 237, ao anular o próprio ‘Campeão do Povo’ por completo diante de sua própria torcida, no Rio de Janeiro. Além de bater Aldo, Alex também passou, duas vezes, por Max Holloway que, para muitos, é o maior peso pena na história do MMA.

Não é exagero ou mentira dizer que o australiano não passou pelo brasileiro quando o atleta estava em um mau momento. Desmotivado? Talvez. Mas nada tira a vitória incontestável de ‘O Grande’ em 2019. O mesmo pode se dizer do triunfo do atual campeão dos penas sobre Holloway. Houve equilíbrio nas duas disputas? Claro. Não se pode esperar que Max, com todo seu talento, fosse ‘tirado para nada’.

Para o legado, o importante é vencer. Dar show é importante? Sim, mas nem sempre é possível. Já vimos Anderson Silva, Jon Jones e Georges St-Pierre triunfarem, mas sem brilhar. Faz parte do jogo.

Volkanovski, porém, comprovou evolução em suas últimas duas defesas de cinturão e pode ainda mais.

Por fim, Alex já superou Aldo? Ainda não, mas acredito que seja questão de tempo. Não é como se José esteja preocupado ou se sentindo ameaçado. O brasileiro vive outro momento nos galos. Mas, (minha) verdade seja dita: Volkanovski está no calcanhar do ‘Campeão do Povo’ e não demora a ultrapassá-lo.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.